Front End Loading

front_end_01
Projetos de Capital e sua Importância para a Economia Mundial

Projetos que envolvem grandes investimentos de capital, tais como o refinarias e campos de petróleo ou gás natural, usinas nucleares, hidrelétricas, minas, obras de arte de grande porte, plantas industriais e grandes obras de transporte, tornaram-se significativamente mais difíceis nos últimos anos.

Nos últimos quarenta anos, estes projetos tornaram-se maiores e mais complexos, as mudanças demográficas e a maior industrialização de grandes economias em desenvolvimento levaram a uma maior demanda por energia e matérias-primas e, portanto, para um significativo aumento da produção. Porém, estes recursos são cada vez mais provenientes de partes menos acessíveis do mundo, geralmente em mercados emergentes, onde as estratégias comerciais enfrentam desafios únicos. Além disso, mercados extremamente promissores geralmente atraem vários competidores, aumentando ainda mais os custos de desenvolvimento num momento em que o crédito é menos acessível do que no passado. Finalmente, oscilações dramáticas nos preços das commodities afetam as finanças e as viabilidades de um grande projeto.

Essas mudanças não irão embora aos próximos anos. O investimento em projetos de grande Capex deverá aumentar dramaticamente nos próximos anos, o que requer a coordenação entre um número maior de participantes do mercado. Como resultado, todos os problemas que ocorrem durante o desenvolvimento, tais como atrasos, estouros de orçamento e defeitos de qualidade têm um efeito proporcionalmente maior sobre o desempenho financeiro dessas empresas, bem como nas empresas de EPC e EPCM (Engineering ,Procurement & Construction e Enginering , Procuremnt, Construction Management). A maioria dos projetos de capital não consegue atender às promessas que foram feitas à corporação quando da autorização, com respeito a:

•    Custo
•    Cronograma
•    Nível da produção
•    VPL ou taxa interna de retorno

Em resposta, grandes empresas têm procurado implementar programas que envolvam o desenvolvimento de informações estratégicas prévias e suficientes para que os acionistas possam enfrentar riscos e tomar decisões de como alocar recursos a fim de maximizar o potencial de sucesso de seu projetos.

Com o aumento significativo de projetos de grande porte no cenário mundial atual, com ciclos de implantação cada vez mais rápidos e custos mais elevados, observa-se  uma crescente importância da etapa de Concepção dos empreendimentos, denominada de “pré-planejamento”, na qual são definidas as estratégias de execução, estimativas de custo, a seleção de alternativas e a análise preliminar de engenharia.

Os Projetos de Capital são essenciais para as estratégias de crescimento e expansão de empresas de grande porte e muitas vezes, para o crescimento econômico de Países.
Tendo em vista a necessidade de criação de metodologias que tem foco nesta etapa inicial e que busquem um equilíbrio maior entre os resultados sociais, econômicos e ambientais, o instituto norte-americano Independent Project Analysis (I.P.A.) desenvolveu uma metodologia denominada Front-End Loading (FEL) ou “Planejamento Antecipado”, na qual custo, prazo, segurança e operabilidade são priorizados.
 
O Independent Project Analysis

O Independent Project Analysis ou I.P.A. é uma consultoria de gestão especializada em Projetos de Capital cujo “statement” de  missão é: Melhorar  a competitividade de seus clientes através de uma utilização mais eficaz do capital em seus negócios. Realiza pesquisas sobre o funcionamento de projetos de capital e sistemas de projetos e aplica estes resultados de forma a ajudar seus clientes a criar e usar bens de capital de forma mais racional e eficiente.

A Base de Dados sobre projetos da IPA congrega:
•    + de 25 anos de pesquisas.
•    + de 12.000 projetos de 250 empresas diferentes.
•    + de 2.000 variáveis de cada projeto.
•    Projetos de 100K USD a + de 20 Bi. USD

Toda esta massa de informação quantitativa é transformada em índices e parâmetros e gera medições independentes que quantificam o efeito das práticas em resultados de projetos, e da competitividade de alvos versus resultados reais dos projetos, pratica denominada pela IPA de Benchmarking Quantitativo.
Boa parte da criação desta base de dados e de sua análise e transformação em índices e melhores práticas, (assim como a metodologia do FEL), deve-se  ao fundador e CEO da IPA, Edward Merrow, autor do livro Industrial Megaprojects: Concepts, Strategies, and Practices for Success (Mega Projetos industriais: Conceitos, Estratégias e Práticas para o Sucesso) ainda não traduzido para o português.

Para que se tenha uma ideia da abrangência e capilaridade dos dados pesquisados pelo Sr. Merrow, encontramos até dados sobre custos projetados versus reais do Projeto da Usina de Itaipu (Construída entre 1971 e 1984).

A metodologia FEL – Front-End Loading

A metodologia FEL é um sistema conceitual pelo qual a corporação se assegura da definição detalhada do empreendimento antes de sua execução, pois identifica e detalha o escopo do projeto alinhando-o às necessidades e aos objetivos do negócio. Assim, assegura-se que os investimentos de capital sejam conduzidos de forma correta e que apenas os negócios economicamente vantajosos sejam aprovados.

O FEL concentra seus esforços no planejamento robusto e no design no início do ciclo de vida de um projeto, momento no qual a capacidade de influenciar mudanças é relativamente alta e os custos para fazer essas mudanças são relativamente baixos.

Os Objetivos principais do FEL são;
•    Fazer com que as necessidades do negócio se tornem o parâmetro preliminar para realização (ou não) de investimentos importantes no projeto;
•    Eliminar/diminuir risco de dispêndio de investimentos em projetos que não irão trazer retorno;
•    Conferir a maturidade adequada na fase de desenvolvimento dos projetos autorizados
•    Minimizar mudanças durante a execução do projeto. E, portanto os riscos.
•    Maximizar a confiança dos investidores no sucesso do projeto.
•    Eliminar custos.
•    Propiciar medidas de performance do projeto para controle e avaliação futura, aumentando a base de dados.

Embora muitas vezes o FEL gere um aumento de tempo e do custo para a parte inicial de um projeto, estes custos são menores em comparação com a alternativa de alterar  e fazer mudanças numa fase posterior do projeto.

front_end_02
Fonte: Adaptado de IPA (apud Costa Junior, 2010)

O FEL é desenvolvido num processo de estágios e “gates”(portões), em que um projeto deve passar por portões formais em etapas muito bem definidas, dentro do ciclo de vida antes de receber financiamento para avançar para a próxima etapa do trabalho .

Dessa forma, o ciclo de vida de um projeto é dividido nas etapas de “Desenvolvimento”, “Construção/Execução” e “Produção/Operação”. A etapa de “Desenvolvimento” é divida em 3 fases sequenciais distintas (FEL1, FEL 2 e FEL 3), com portões de passagem que definem o ponto de transição de uma fase para a outra. As fases de FEL 1, FEL 2 e FEL 3 são conhecidas respectivamente por “Análise do Negócio”, “Seleção da Alternativa” e “Planejamento da Construção”. Os portões representam o momento em que o projeto deverá ser aprovado para a próxima fase, podendo ser retornado para melhor definição ou ser cancelado.

front_end_03
Fonte: Adaptado de IPA (apud Costa Junior, 2010)

As Fases do Front-End-Loading

A fase de FEL 1 tem o intuito de identificar, desenvolver e avaliar uma oportunidade de investimento através da análise de atratividade do negócio e do entendimento quanto ao alinhamento estratégico do projeto frente as necessidades da empresa. Nesta etapa, são iniciados o desenvolvimento do plano de negócio, a avaliação econômica, a previsão de mercado, os estudos competitivos e as estimativas iniciais de custos.

A fase de FEL 2 visa desenvolver as alternativas identificadas em FEL 1 com o objetivo de selecionar aquela que maximize o valor para o empreendimento e para a corporação. Nesta etapa, são realizadas as principais definições de engenharia conceitual sobre o processo produtivo, os estudos de trades-off e um refinamento das premissas e dos dados econômicos do projeto.

front_end_04

Já a fase de FEL 3 visa aprofundar a alternativa selecionada em FEL 2 com o objetivo de planejar a execução do empreendimento e confirmar o atendimento aos objetivos do projeto e do negócio. Nesta etapa, são realizadas a elaboração do planejamento para a construção, a definição da estimativa de investimento para autorização da implantação, o desenvolvimento da engenharia detalhada, a especificação dos equipamentos, o plano de compras e o plano de execução do projeto.

Fonte: Adaptado de IPA

Na parte econômica, ambiental e de engenharia os principais produtos finais da análise FEL são:
 
•    Produtos de Projeto: definição das diretrizes, objetivos e restrições do projeto, construção da Estrutura Analítica de Projeto (EAP), estabelecimento dos principais marcos e identificação do caminho crítico do projeto;
•    Produtos de Avaliação Econômica e de Risco: análise do mercado, análise de sensibilidade do Valor Presente Líquido (VPL), cálculo dos principais indicadores de viabilidade, e avaliação dos riscos do negócio baseada na metodologia de Análise e Gestão Integrada de Risco;
•    Produtos de Meio Ambiente: levantamento das condições ambientais e de solo, elaboração de estudos ambientais, solicitação de licenças e elaboração do Plano de Gerenciamento Ambiental;
•    Produtos de Saúde e Segurança: identificação dos requisitos legais e técnicos de Saúde e Segurança e do Plano de Gerenciamento de Saúde e Segurança de Implantação de Projetos;
•    Produtos de Engenharia: desenvolvimento do projeto conceitual e do projeto básico, seleção da tecnologia, fluxogramas do processo, estudos de demanda e disponibilidade de energia, desenhos do arranjo físico e lista de equipamentos e materiais.

O Índice FEL

O I.P.A. desenvolveu também o Índice FEL para que seus clientes possam nortear as suas decisões nesses portões, embasando-se pelo banco de dados que contém os benchmarks de projetos. Tal índice FEL é composto por 3 fatores de mesmo peso:

a)    Fatores do Local, onde são avaliados parâmetros de condições do local, exigências ambientais, requerimentos de saúde e segurança, mão de obra, etc.;
b)    Status de Engenharia, onde são avaliados parâmetros como desenhos industriais, balanços de massa e energia, escopo de execução detalhado, etc.;
c)    Plano de Execução do Projeto, onde são avaliados itens como plano de gestão do risco do projeto, planos de contratação e aquisições, estimativa de custos, cronograma do projeto, entre outros.
O Índice FEL é obtido através da média obtida nos três fatores. (MERROW, 1997). Uma visão mais detalhada pode ser verificada na figura abaixo:

front_end_05

Conclusão e Recomendação de Leitura

A metodologia Front End Loading é uma metodologia nova que visa atingir o planejamento ótimo de um projeto. Atualmente é uma ferramenta gerencial importantíssima para a potencialização das fases iniciais de um projeto. Sua abordagem é quantitativa fundamentada por uma extensa base de dados, referendando as práticas que deram certo.(VIPs)

front_end_06
Caso o Gerente de Projeto deseje se aprofundar na metodologia FEL ele verificará também a grande correlação entre a mesma e o padrão do PMBoK, uma vez que os  produtos  de cada etapa da metodologia possuem direta relação com os grupos de processos de Iniciação  e Planejamento, bem como com as demais áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos do PMI.

No Brasil sobre o  FEL, não há quase nada publicado. Para quem se interessar, o autor recomenda o livro:  ” Industrial Megaprojects: Concepts, Strategies, and Practices for Success”, de Edward Merrow, CEO da I.P.A.

O planejamento inicial bem feito e bem detalhado é a maior garantia de sucesso de um projeto, é como dizia o maior dos presidentes americanos:

“Se eu tivesse nove horas para cortar uma árvore, passaria  seis horas afiando o meu machado”.

Abraham Lincoln.

REFERÊNCIAS

Livros:
•    Industrial Megaprojects: Concepts, Strategies, and Practices for Success (Editora Wiley)
Edward Merrow
Wiley

Artigos:
•    Understanding the Outcomes of Mega projects
A quantitative analysis of very large civilian projects
Edward W. Merrow
http://science.energy.gov/~/media/opa/pdf/processes-and-procedures/various/Rand_Study_Mega_Proj_3560.pdf
•    Revista Gestão Industrial da UTFPR
Alinhando os Objetivos Técnicos do Projeto às Estratégias do Negócio: Contribuição da Metodologia Fel no Pré planejamento de grandes Empreendimentos
Otávio Mansur Motta; Osvaldo Luiz Gonçalves Quelhas; José Rodrigues de Farias Filho
•    XXVIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO
Potencializando o Planejamento de Projetos: Abordagem de uma Metodologia de Planejamento no contexto do Padrão
Leonardo Pereira Santiago
Daniel Drumond Campos e Silva
Luiz Carlos Nogueira Junior
Amanda Isis de Moura
http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2008_TN_STO_076_538_11746.pdf
•    Artigo Revista Mundo PM
FEL – Front End Loading e LDPS – Lean Delivery Production System para concepção de projetos de empreendimentos
Fernando Romero – M.Sc., Engenheiro
VALE – DIFE – Departamento de Projetos de Ferrosos
GEPFM – Gerência Geral de Implantação de Projetos de Ferrosos
Dr. Paulo Andery – Professor da UFMG

Congressos:
•    O Índice FEL e o Benchmarking entre Projetos como Ferramentas para Alcançar a Excelência em Projetos de Capital
Carlos Tapia – IPA
http://www.mundopm.com.br/eventos/ipemac/ppt/tapia03.pdf

•    FEL e as práticas de Gates pra Projetos de Capital
André Choma  
http://www.mundopm.com.br/eventos/infra/images/ppt/01a_AndreChomaSpecialDay_impressao.pdf

Websites:
•    ENTENDENDO A METOLOGIA FEL
Professora: Shirlei Querubina, Professora: Shirlei Querubina, Adm/ PM/ MBA
http://www.techoje.com.br/bolttools_techoje/files/arquivos/apresentacao_fel_shirlei_ietec_mar2013.pdf

•    Aplicação da VIP de Seleção de Tecnologia em projetos de capital
Rodrigo Carvalho Pinho
http://pmkb.com.br/aplicacao-da-pratica-de-melhoria-de-valor/